Educação a Distância

A Free Template From Joomlashack

A Free Template From Joomlashack

Nossos Sites

Acesso - Usuário



CB Workflows

CB Online

Nenhum

Redes Sociais

 

Previsão do Tempo


Previsão de Ondas


Publicidade

Banner
Banner
Educação a Distância

Parcerias

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Resumo de Anatomia E-mail

 

Trabalho realizado por:

Equipe FisioWeb.

 

Posição Anatômica

Todos os termos que descrevem as relações de uma parte do corpo com as outras são estabelecidos com referência a uma posição anatômica padrão.

Na posição anatômica, o corpo está:

- Em postura ereta, com o olhar para o horizonte;

- Os braços pendentes, ao lado do corpo, com as palmas das mãos voltadas para frente (posição supina);

- Os pés estão ligeiramente afastados e apoiados e apoiados no solo.


Planos do Corpo

Os planos de referência derivam das dimensões do espaço e se encontram formando ângulos retos entre si; são  usados para descrever as disposições estruturais. São planos de delimitação do corpo humano.

- Há três planos específicos:

Plano sagital

Divide o corpo verticalmente em duas metades: direita e esquerda.

Plano frontal ou coronal                                                   

Divide o corpo verticalmente em duas metades: anterior e posterior.

Plano transverso ou horizontal

Divide o corpo horizontalmente em duas metades: superior e inferior.

PLANOS

Sagital

Frontal

Transverso

. Lateral ou externo

. Medial ou interno

. Anterior ou ventral

. Posterior ou dorsal

.Superior ou proximal

. Inferior ou distal

Termos Elementares Definindo Posição e Direção

Anterior

Na frente, a frente do corpo, mais próximo da frente do corpo (ventral).

Posterior

Atrás, dorsal, no dorso.

Superior

Acima (supra), em relação a outra estrutura; indica também a extremidade cefálica ou cranial.

Inferior

Abaixo(infra) em relação a outra estrutura; indica também a extremidade caudal.

Medial

Relativo ao meio ou centro, mais próximo do plano mediano do que outra (interno).

Lateral

Refere-se à do lado de fora, mais distante do plano mediano do que outra (esterno).

Proximal

Mais perto do tronco ou do ponto de origem, ou mais próximo a raiz do membro.

Cranial

Para cima, para o extremo cranial ou cefálico (superior).

Distal

Significa mais afastado do centro ou do ponto de origem.

Caudal

Para o extremo caudal do corpo ou inferior.

Decúbito Dorsal (DD)

O corpo deitado de costas.

Decúbito Ventral (DV)

O corpo deitado com a face anterior para baixo.

Decúbito Lateral (DL)

O corpo é deitado de lado.

Ântero-superior

Na frente e em cima.

Ântero-inferior

Na frente e em baixo.

Ântero-lateral

Na frente e no lado externo.

Ântero-medial

Na frente e no lado interno.

Póstero-superior

Situado atrás e na parte de cima (cranial).

Póstero-inferior

Atrás e embaixo(caudal).

Póstero-lateral

Atrás e do lado externo.

Póstero-medial

Atrás e do lado interno.

Central

Mais próximo do centro ou em direção do centro.

Periférico

Mais distante ou afastado do centro.



Algumas terminologias anatômicas usadas para a descrição das superfícies ósseas

(Acidentes Ósseos)


As superfícies ósseas são de duas ordens: articulares e não-articulares.

 

SUPERFÍCIES ARTICULARES

Cabeça

Uma extremidade articular globosa. Ex.: cabeça do úmero e do fêmur.

Côndilo

Uma projeção articular de grande porte, de aspecto arredondado.

Ex.: côndilos femorais.

Face

Uma superfície articular achatada ou pouco profunda. Ex.: face articular do rádio.

 

Superfícies não-articulares

Crista

Eminência estreita e alongada. Ex.: crista ilíaca do osso ilíaco.

Espinha

Uma projeção delgada e pontiaguda. Ex.: espinha isquiática.

Epicôndilo

É um processo proeminente acima do côndilo. Ex.: epicôndilos do úmero.

Linhas

As linhas são cristas pequenas e rasas. Ex.: linha áspera do fêmur.

Processo

Refere-se a uma saliência óssea acentuada. Ex.: processo mastóideo do osso temporal.

Trocanter

Um grande processo para inserção muscular. Ex.: trocanter maior e menor do fêmur.

Tuberosidade

Um grande processo de superfície áspera e rugosa. Ex.: tuberosidade ulnar.

Tubérculo

Um pequeno processo de formato arredondado. Ex.: tubérculo maior e menor do úmero.

 

Cavidades, depressões, aberturas

Cavidades articulares

São ora rasas, ora profundas, daí a denominação de glenóide no primeiro caso e cotilóide no segundo.

Forame

São cavidades de transmissão, para passagem de vasos e nervos. Ex.: forame magno do osso occipital.

Fossa

Refere-se a uma “vala” rasa. Ex.: fossa mandibular do osso temporal.

Fóvea

Uma pequena escavação formando uma cavidade, normalmente circular. Ex.: fóvea da cabeça do rádio.

Meato ou canal

É uma passagem de forma tubular. Ex.: meato acústico externo do osso temporal.

Seio

Cavidade ou espaço oco. Ex.: seio frontal do osso frontal.

Sulco

Depressão alongada em forma de canaleta; são cavidades onde deslizam os tendões, acomodam um vaso ou um nervo. Ex.: sulco bicipital do úmero.


Divisão do Esqueleto

Esqueleto Axial

Cabeça

Crânio (8 ossos );

Face (14 ossos).

Coluna vertebral

Trinta e três (33) vértebras.

Costelas

Doze (12 ) pares.

Esterno

Um (1) osso

 

Esqueleto Apendicular

Membros Superiores, incluindo a cintura escapular.

Sessenta e quatro (64) ossos.

Membros inferiores, incluindo a cintura pélvica.

Sessenta e dois (62) ossos.



Osteologia da cabeça (Crânio e Face)

Ossos da cabeça

Face (14 ossos)

Crânio (8 ossos)

Ímpares

Pares

Ímpares

Pares

Mandíbula;

Vômer.

Conchas nasais inferiores (cornetos);

Nasais;

Lacrimais;

Zigomáticos;

Maxilares;

Palatinos.

Frontal;

Occipital;

Etmóide;

Esfenóide.

Temporais;

Parietais.


Ossos do crânio

Um(1) frontal = forma a fronte e possui uma cavidade, o seio frontal.

 

Um(1) occipital = situado na parte posterior e inferior, possui o forame magno para passagem do sistema nervoso central.

 

Um(1) etmóide = apresenta as conchas nasais superiores e média que se projetam na cavidade nasal, possui uma lâmina horizontal, perfurada (lamina crivosa), por onde passam os filetes do nervo olfatório, que é o, primeiro par craniano.

 

Um(1) esfenóide = contém o seio esfenoidal, apresenta uma depressão- a sela túrcica, onde se aloja a glândula hipófise.

 

Dois(2) temporais = formam as paredes laterais do crânio.

 

Dois(2) parietais = formam a parte superior da calota craniana.

 

 

Ossos da face

Uma(1) mandíbula = é um osso móvel na sua articulação crânio-temporal. Apresenta cavidades aveolares onde se implantam os dentes.

Um(1) vômer = faz parte do septo nasal.

 

Duas(2) conchas nasais inferiores = projetam-se das paredes laterais da cavidade nasal.

 

Duas(2) nasais = formam o “teto” do nariz.

 

Duas(2) lacrimais = limitam a fossa lacrimal.

Dois(2) zigomáticos = localizados lateralmente na face.

Dois(2) maxilares = separam, em parte, as cavidades nasal e bucal.

Dois(2) palatino = formam o “teto” da boca – a abóbada palatina.


Coluna vertebral

A coluna vertebral, ou coluna raquídea, faz parte do esqueleto axial, constituindo o eixo principal do corpo; está situada  na linha média da parte posterior do tronco.

 

Ela é formada por uma série de trinta e três (33) a trinta e quatro (34) pequenos ossos discóides superpostos chamados Vértebras, separados uns dos outros por discos, ou lâminas de tecido, fibrocartilaginosos e unidos por fortes ligamentos. Apenas as vértebras sacrais são fundidas em peça única.


As vértebras estão distribuídas em cinco (5) regiões:

 

Região cervical – sete (7) vértebras;

 

Região torácica – doze (12) vértebras;

 

Região lombar – cinco (5) vértebras;

 

Região sacral – cinco (5) vértebras fundidas e

 

Região coccigiana – quatro (4) fundidas

 

 

A coluna vertebral do adulto apresenta quatro (4) curvaturas ântero-posteriores:

 

Lordose cervical – concavidade posterior;

 

Cifose torácica – convexidade posterior;

 

Lordose lombar – concavidade posterior e

 

Cifose sacral – convexidade posterior.

 



Denominação das vértebras
:

Por razões práticas, contamos as vértebras de cima para baixo e são nomeadas por suas iniciais, conforme a sua localização.


Por exemplo:

. (C6) sexta vértebra cervical;

. (T2) segunda vértebra torácica e

. (L5) quinta vértebra lombar etc.

Apenas  a primeira, segunda  e sétima vértebra cervicais têm nome específicos, respectivamente:

Atlas (C1);

Áxis (C2) e

Proeminente (C7).


Movimentos vertebrais
:

 

Alem  dos  diversos  segmentos   vertebrais  resulta  em  uma ampla mobilidade da coluna vertebral em conjunto.

 

Os movimentos da coluna vertebral são:

 

Flexão

 

É a inclinação da coluna para frente. Ampla nas regiões cervicais e lombares, mas é reduzida no segmento torácico pela presença das costelas, esterno e clavículas, para a compressão dos órgãos toracolombares.

 

Extensão

É a flexão posterior da coluna, ou seja, inclinação para trás. Apresenta grande amplitude na coluna cervical e lombar (junção lombo-sacral), e  é limitada na região torácica pelos processos espinhosos.


Flexão lateral

É o movimento da coluna no plano frontal, inclinação para a direita e esquerda. A inclinação lateral apresenta maior liberdade nas regiões cervicais para a direita e esquerda. Durante a flexão lateral ocorre uma discreta rotação vertebral, devido às curvaturas normais e à obliqüidade  das facetas articulares.

Rotação

 

É o movimento da coluna no plano horizontal, à direita e à esquerda. A rotação e livre na coluna cervical e nas porções superiores da coluna torácica. Geralmente a rotação é muito limitada na coluna lombar, devido à forma e direção das facetas articulares.

 

 

 

Ossos dos membros superiores

O membro superior é composto por quatro (4) partes principais (somando um total de trinta e dois (32) ossos para cada lado.

 

Cintura Escapular

Clavícula

Escapula

Braço

Úmero

Antebraço

Rádio(lateralmente)

Ulna(medialmente)

Mão

Carpo (oito ossos)

1ª Fileira

Escafóide

Semilunar

Piramidal

Pisiforme

2ªfileira

Trapézio

Trapezóide

Capitato

Hamato

Metacarpo(cinco ossos)

I° metacarpiano

II° metacarpiano

III° metacarpiano

IV° metacarpiano

V° metacarpiano

Dedos da mão(quatorze falanges)

Cinco dedos, cada dedo com três falanges, execeto o polegar, com duas falanges.

Dedos da mão

Polegar

Indicador

Médio

Anular

Mínimo

Ossos do membro inferior

O membro inferior é especializado para locomoção de peso e manutenção do equilíbrio. Compreende quatro (4) segmentos principais:

 

Cintura Pélvica

Ilíacos (um par)

Ísquio

Ílio

Púbis

Coxa

Fêmur

Patela (osso sesamóideo)

Perna

Tíbia (Internamente)

Fíbula (lateralmente)

Tarso (sete ossos)

Fileira posterior (proximal)

Calcâneo

Tálus

Fileira anterior (distal)

Escafoide ou navicular

Cubóide

Cuneiformes (três)

Metatarso (cinco ossos)

I, II, III, IV e V metartasianos

Dedos (quatorze falanges)

Cada dedo, três falanges

Hálux, duas falanges

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esqueleto do tórax

 

O tórax é uma grande “caixa”,  óssea, que protege órgãos vitais como o coração e os pulmões, além dos grandes vasos.

 

As costelas, cartilagem costais, vértebras torácicas e osso esterno compõem o esqueleto do tórax.

 

As costelas

Compreendem doze (12) ossos planos alongados que se fixam à coluna vertebral, assim classificados:

 

Costelas verdadeiras (sete pares)

Estão unidas ao osso esterno por cartilagem costal; são as sete primeiras costelas.

 

Costelas falsas (três pares)

Cada costela, da oitava à decima, é ligada por sua cartilagem costal à cartilagem da costela superior.

 

Costelas flutuantes (dois pares)

Não se articulam com o osso  esterno; elas terminam nos músculos da parede anterior do abdome.

 

 


Cada costela apresenta basicamente os seguintes acidentes ósseos
.


Corpo

 

Face externa – convexa, contém dois ângulos, anterior e posterior.

 

Face interna – côncava e lisa.

 

Bordo superior – ponto de inserção para os músculos intercostais.

 

Bordo inferior ( é o cortante) – provido de um sulco  que aloja os vasos e nervos intercostais.

Extremidade anterior – escavada, recebe a cartilagem costal (articulação condrocostal).

 

Extremidade posterior – é formada pela cabeça, colo e o tubérculo.

 

 

 

Osso esterno ( Do grego STÉRNON = “peito”)

É um osso formado pela reunião de três peças ósseas:

 

Manúbrio,

Corpo e

Processo xifóide.


Acidentes ósseos

Face anterior

 

Apresenta cristas transversais (fusão das peças ósseas)

 

O manúbrio com o corpo esternal formam um ângulo (ângulo de Louis)

Inserção para os seguintes músculos:

 

1)      Esternocleidosmastóideo

2)      Peitoral maior

3)      Reto do abdome

Face posterior

Apresenta as cristas, semelhantes às da face anterior

 

Inserção para os seguintes músculos

 

1)      Esterno – hióideo

2)      Triangular do esterno



Base ou manúbrio

Apresenta três incisuras:

 

1)          Na linha média do osso, a incisura jugular (fúrcula esternal)

2)          Lateralmente, incisuras claviculares: direita e esquerda (articulação com a clavícula)

 


Bordas laterais  do esterno

Apresenta sete pequenas superfícies articulares de cada lado, denominadas incisuras costais (articulação para as sete primeiras cartilagens costais).

 


Processo xifóide
(Xifóide do Grego XIPHCEIDÉS = “ESPADA”)

As vezes cartilaginosos, é o último segmento do esterno a ossificar-se por volta dos quarenta anos de idade. Serve de inserção para a linha Alba e o músculo diafragma.

Miologia do Membro Superior

 

Músculos que Participam nos Movimentos da Cintura Escapular


Os músculos que atuam na cintura escapular

Músculos anteriores:

 

- Músculo subclávio

- Músculo peitoral menor

- Músculo serrátil anterior

 


Músculos posteriores:

 

- Músculo elevador da escápula

- Músculo rombóide

- Músculo trapézio

 

 

Músculos que Participam nos Movimentos da Articulação do Ombro (glenoumeral)

 


- Músculo deltóide

- Músculo infra-espinhoso

- Músculo redondo menor

- Músculo redondo maior

- Músculo subescapular

- Músculo peitoral maior

- Músculo grande dorsal

- Músculo coracobraquial

 

 

 

Músculos que Participam nos Movimento Associados – Ombro e Cintura Escapular

 

Músculos Motores das Articulações do Cotovelo e Radioulnar

 

- Músculo bíceps braquial

- Músculo braquial

- Músculo braquiorradial

- Músculo tríceps braquial

- Músculo ancôneo

- Músculo pronador redondo

- Músculo pronador quadrado

- Músculo supinador

 


Músculos Motores do Punho

 

- Flexores

- Extensores

- Adutores (desvio ulnar)

- Abdutores (desvio radial)

- Músculo flexor radial do carpo

- Músculo palmar longo

- Músculo extensor radial longo do carpo

- Músculo extensor radial curto do carpo

- Músculo extensor ulnar do carpo

 

 

 

Músculos Antebraquiais Motores dos Dedos

 

- Músculo flexor superficial dos dedos

- Músculo flexor profundo dos dedos

- Músculo extensor dos dedos (extensor comum dos dedos)

- Músculo extensor do dedo mínimo (extensor do quinto dedo)

- Músculo extensor do dedo indicador

 

Músculo antebraquiais Motores do polegar:

 

- Músculo extensor longo do polegar

- Músculo extensor curto do polegar

- Músculo abdutor longo do polegar

- Músculo flexor longo do polegar

 



Músculos da Mão

 

Músculos da região tenar ou palmar externa:

 

- Músculo abdutor curto do polegar

- Músculo flexor curto do polegar

- Músculo oponente do polegar

- Músculo adutor do polegar

 

 

 

 

Músculos da região palmar média:

 

Músculos da região hipotenar ou palmar interna:

 

- Músculo palmar cutâneo ou palmar curto

- Músculo flexor curto do dedo mínimo

- Músculo oponente do dedo mínimo

 

Músculos Responsáveis pelos Movimentos dos Dedos nas Articulações Metacarpofalangianas

 

Músculos Responsáveis pelos Movimentos das Articulações dos Dedos

 

Músculos Responsáveis pelos Movimentos do Polegar

 

 

Obs:

- Todo crédito e responsabilidade do conteúdo é de seu autor.

- Publicado em 19/08/2010 sob autorização de www.fisioweb.com.br

 
Educação a Distância
 
Joomla 1.5 Templates by Joomlashack