Educação a Distância

A Free Template From Joomlashack

A Free Template From Joomlashack

Nossos Sites

Acesso - Usuário



CB Workflows

CB Online

Nenhum

Redes Sociais

 

Previsão do Tempo


Previsão de Ondas


Publicidade

Banner
Banner
Educação a Distância

Parcerias

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Avaliação Psicomotora em pré--escolares na faixa etária de 3 a 9 anos E-mail

 

Trabalho realizado por:

Anderson da Silva Matos
Juliana Rosalina Rezende Vilela
Noemi da Silva Pereira
Priscila da Glória Mendonça Dias
Rachel Nogueira Ferreira
Tânia Regina Souto Cabral
Vanessa Tavares Camilo Brandão

* Acadêmicos da UNIVERSIDADE IGUAÇU - FACBS - Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde - Curso de Fisioterapia.

Contato: and_matos83@yahoo.com.br

Orientador:

Prof. Guttemberg.
Disciplina: Psicomotricidade.

 

Resumo


A psicomotricidade vem sendo usada como instrumento importante para melhorara aprendizagem e desenvolvimento motor e intelectual do indivíduo. À medida que o indivíduo se desenvolve, ele adquire funções cada vez mais complexas. A psicomotricidade através de jogos e brincadeiras procura desenvolver tais habilidades da melhor maneira. É durante a idade pré-escolar onde se encontra o auge da aprendizagem, é neste momento em que toda a capacidade da criança deve ser explorada e desenvolvida, assim como ser identificado qualquer déficit. Neste estudo foi avaliado um grupo de pré-escolares na faixa etária de 3 a 9 anos com o objetivo de verificar em que nível estavam relativamente ao seu desenvolvimento motor através de jogos em que se testaram a motricidade fina, motricidade global, equilíbrio, esquema corporal e lateralidade. Os resultados mostraram que o grupo de forma geral está com seu desenvolvimento motor satisfatório, devendo ser trabalhado em apenas alguns dos aspectos da motricidade.

 


Introdução


A psicomotricidade vem sendo usada como instrumento importante para auxiliar e capacitar o indivíduo para uma melhor aprendizagem e desenvolvimento, tanto motor como intelectual. Contribuindo de maneira expressiva para formação e estruturação do esquema corporal, caracterizando-se como uma educação que através do movimento faz com que o indivíduo adquira funções cada vez mais elaboradas e complexas desde a educação infantil, sendo aplicada em jogos e brincadeiras que além de divertir as crianças, estas criam, interpretam e relacionam-se com o mundo em que vivem. Através desta dinâmica intenta-se que as crianças percebam suas potencialidades, identificando as possibilidades e dificuldades do seu corpo, como o objetivo de superar qualquer questão prejudicial no desenvolvimento psicomotor satisfatório.
É durante a idade pré-escolar que o indivíduo encontra-se no auge do seu período de aprendizagem, onde toda capacidade deve ser bem explorada e também é o momento certo onde qualquer déficit no desenvolvimento precisa ser identificado e trabalhado buscando o melhor desempenho. Segundo A. De Meur (1991) a função motora, o desenvolvimento intelectual e o desenvolvimento afetivo estão intimamente ligados a criança.
Estudos sobre a motricidade infantil em geral são realizados com objetivo de avaliar, analisar e estudar o desenvolvimento de crianças em diferentes etapas evolutivas. (Rosa Neto, 2002).
Neste estudo o objetivo foi avaliar como se encontrava naquele momento o desenvolvimento motor em um grupo de 16 crianças de 3 a 9 anos. Considerando-se que duas destas crianças, no caso as com idade de 9 anos, eram portadores respectivamente das Síndromes de Down e de Arpenguem. Cujas idades motoras equivalem a de uma criança de 4 anos na idade cronológica.

 

Materiais e Métodos

Para este estudo foi utilizado um grupo de 16 crianças na idade pré-escolar entre 3 e 9 anos de idade de ambos os gêneros do Colégio Cenecista da cidade de Paracambí, na Baixada Fluminense, no estado do Rio de Janeiro, Brasil. Todo o grupo foi submetido a uma bateria de testes que avaliaram sua motricidade fina, motricidade global, equilíbrio e lateralidade. Para registros dos dados foi utilizada uma ficha de avaliação individual elaborada pelos próprios autores deste trabalho (anexo), onde constavam os dados pessoais da criança e um breve relatório do seu desempenho em cada um dos testes aplicados, além de outros recursos de registro como filmagem e fotografias (anexo).
O nível de dificuldade das tarefas realizadas foi equivalente aos parâmetros normais para a idade motora de uma criança de 4anos de idade cronológica. Para cada teste foi utilizado material específico como um jogo de tabuleiro para o teste de motricidade fina, o boliche, para motricidade global, linhas fixadas junto ao chão para o equilíbrio e o óculo-podal, bonecos emborrachados e desmontados para o esquema corporal e o futebol para a lateralidade. No caso a lateralidade não foi somente testada no futebol como nos demais testes.

 

 

Resultados e Discussão

 

Na avaliação referente à motricidade fina obteve-se o seguinte resultado: crianças que apresentaram algum tipo de déficit foram 37,5%, desempenho considerado normal 56,6%, e com nível avançado 26,6%.

Gráfico 1: Porcentagem das crianças que apresentaram déficit( def), normalidade(nor) e avançado(av) no teste de motricidade fina.


No teste de motricidade global apresentou-se o resultado de 100% das crianças com desempenho considerado normal.
No teste de equilíbrio apresentou-se o seguinte quadro: 13,2% apresentou déficit, 87,5% desempenho normal. E óculo-pedal: 31,2% apresentou déficit e 66,7% desempenho normal.

Gráfico 2: Porcentagem das crianças que apresentaram déficit( def), normalidade(nor) no teste de equilíbrio (vermelho) ) e óculo-pedal(azul).

 

No teste de esquema corporal o resultado ficou da seguinte maneira: 43,7% das crianças apresentaram déficit e 56,6% obteve o desempenho normal.

Gráfico 3 porcentagem das crianças que apresentaram déficit( def), normalidade(nor) no teste de Esquema corporal

 

No teste de lateralidade as crianças apresentaram 43,7% Destro completo (DC), Lateralidade cruzada (LC) 37,5% e 18,8% para Sinistro Completo (SC).

Gráfico 4 porcentagem das crianças que apresentaram Destro completo(DC), Lateralidade Cruzada(LC) e Sinistro completo(SC).

 

 

Conclusão

Em uma única sessão foram avaliadas 16 crianças na idade pré-escolar entre 3 e 9 anos, sendo dois casos com crianças de 9 anos na idade cronológica, porém com a sua maturação equivalente a 4 anos na idade motora. O desempenho dos pré-escolares de ambos os gêneros foi de um modo geral satisfatório, considerando que os resultados refletem ritmos diferentes para os itens da motricidade. Apenas os dois casos onde foram identificadas as Síndromes de Down e Arpergue apresentaram atraso na sua idade motora, porém, ao serem comparadas com as demais crianças obtiveram desempenho semelhante, podendo plenamente ser inclusas no grupo avaliado como um todo, exceto para o teste de esquema corporal onde estes dois apresentaram um grau relativamente alto de déficit. Quanto aos demais que apresentaram déficit motor em alguns dos testes, pode-se corrigir com o acompanhamento profissional a fim de proporcionar um desenvolvimento das habilidades motoras estabelecendo novos meios de aprendizagem.

 

 

Referências Bibliográficas


- A. De Meur e L. Staes Psicomotricidade – educação e reeducação Editora Manole 1991.

 

- Maria Joana D.C Desenvolvimento motor de pré-escolares No intervalo de 13 meses Revista Brasileira de Cineamtropometria e desenvolvimento Humano 2005.

 

- www.colégiosantamaria.com.br Psicomotricidade na educação infantil Artigo 2004.

 

- Bárbara B. A psicomotricidade na educação infantil www.sineperj.org.br 2007

 

 


Obs:

- Todo crédito e responsabilidade do conteúdo são de seus autores.

- Publicado em 11/08/2010 sob autorização de www.fisioweb.com.br

 
Educação a Distância
 
Joomla 1.5 Templates by Joomlashack